Como ficam nossas crianças em tempos de pandemia?

Como ficam nossas crianças em tempos de pandemia?

Ser mãe e ser professora neste momento histórico pelo qual o sistema de ensino está passando faz com que várias reflexões venham em minha mente. Todavia a ideia central é sempre a mesma… O que é melhor para nossas crianças hoje!?

Não existe uma resposta certa para os questionamentos refletidos. Afinal, este é um momento ímpar em nossas vidas, que certamente será um divisor de águas tanto do sistema de ensino quanto das relações familiares. 

Parece que em algum lugar perdido na história, deixamos algo desfazer nossa conexão com nossas crianças, seja pela adesão desenfreada aos avanços tecnológicos ou pela falta de sintonia com eles. A verdade é que nós, pais, professores, mediadores da educação e da aprendizagem estivemos inertes em nossas funções. 

Esta pandemia chegou para abalar nossas estruturas e nos mostrar um novo modo de ver o processo ensino-aprendizagem. Entender a conexão necessária para que possamos cumprir com o delicado papel de ensinar à distância e o enfrentamento de nosso papel de pais como mediadores do aprender. O mais importante aqui, é aceitar que também estamos aprendendo, nos adaptando, para que não entremos em colapso. Ok!?

Enquanto professora tenho me desdobrado para ser o mais sensível possível, equilibrar necessidades às possibilidades e buscar a coerência entre ambas. Enquanto mãe tenho me questionado se os conhecimentos adquiridos agora, aqueles voltados às questões práticas das disciplinas, serão lembrados, absorvidos ou ficarão guardados como lembranças dolorosas de um período em que perdemos as rédeas e fomos levados a seguir as regras instituídas a fim de preservarmos nossas vidas e a de nossas famílias… 

Creio que o que precisamos agora é o equilíbrio entre a necessidade e a realidade vivida por cada família. Quanto às crianças? Certamente elas superarão com muito mais tranquilidade do que pensamos, eles se adaptam com facilidade e a maior parte da relutância vem por nossa causa, pois desejamos jamais perder o controle, tememos o novo, nos assustamos quando saímos de nossa zona de conforto. Mas acredite… nós vamos sair dessa ainda mais fortes e confiantes, dominando novas tecnologias e explorando novas formas de viver e conviver, com a educação e com nossos filhos também.

E como dizem por aí…Respira, Inspira e Não pira! Vamos aproveitar os momentos lúdicos, promover o aprender através de experiências agradáveis a fim de tornar este período mais suave e fácil de ser vivido.

Vai ficar tudo bem!!